Zika Vírus e a síndrome Guillain-Barré

Saiba como fazer um repelente fitoterápico e previna-se contra o Zika vírus e outras doenças que ele pode causar.

Pesquisa avaliou pacientes que tiveram a síndrome na Polinésia Francesa.
País teve surto de zika entre outubro de 2013 e abril de 2014.

Zika Vírus e a síndrome Guillain-Barré: Qual a relação?

Um estudo publicado nesta segunda-feira (29) encontrou novas evidências de que o vírus da zika pode estar relacionado a casos de síndrome de Guillain-Barré. A síndrome afeta o sistema nervoso e pode provocar fraqueza muscular e paralisia – geralmente temporária – dos membros. A possível ligação entre zika e a síndrome Guillain-Barré já vinha sendo avaliada por especialistas há algum tempo.

Em pacientes diagnosticados com a síndrome Guillain-Barré durante surto de zika na Polinésia Francesa, 98% foram infectados pelo vírus zika.

A pesquisa, liderada pelo Instituto Pasteur de Paris e divulgada na revista científica “The Lancet”, avaliou amostras de sangue de 42 pessoas diagnosticadas com Guillain-Barré no Centro Hospitalar da Polinésia Francesa (CHPF) durante o surto de zika que afetou o território do Pacífico Sul entre outubro de 2013 e abril de 2014.

Confira a receita de um Repelente Fitoterápico:

receita repelente

 

Quais são os sintomas da síndrome de Guillain-Barré?

A síndrome de Guillain-Barré – que pode afetar pessoas de qualquer idade, especialmente adultos mais velhos – começa a se manifestar por formigamento nos pés e pernas. A sensação tem caráter ascendente, ou seja, vai subindo para os joelhos, coxas, mãos e braços.

O formigamento e a alteração da sensibilidade dos membros vêm acompanhado de fraqueza nos músculos e paralisia. Os sintomas podem atingir os músculos da face e da respiração, o que faz com que o paciente precise ser tratado em unidades de terapia intensiva (UTI).

Há risco de o paciente ficar com sequelas?
A síndrome de Guillain-Barré é considerada uma doença de prognóstico favorável pelos médicos. Em 85% dos casos, há uma recuperação praticamente completa que pode levar de dois a quatro meses. Em 15% dos casos, pode haver sequelas, desde as mais leves, como fraqueza nos pés ou dormência, até as mais significativas, em que os pacientes podem perder a capacidade de andar.

Quais são as causas da doença?
A síndrome de Guillain-Barré ocorre, na maioria das vezes, algumas semanas após uma infecção por vírus ou bactéria. O que ocorre é que o organismo do paciente desenvolve uma reação imunológica para combater a infecção e destruir os vírus ou bactérias. Mas existem estruturas nos vírus e bactérias que são muito parecidas com a bainha de mielina, estrutura que reveste as células nervosas.

Algumas infecções que já foram associadas ao desenvolvimento de Guillain-Barré são as infecções por citomegalovírus, vírus da gripe, da dengue, da hepatite, além de bactérias como aCampylobacter jejuni.

Considerando o aumento expressivo do número de casos de Guillain-Barré em regiões onde também se constatou a presença do zika vírus, especialistas consideram que existem fortes indícios de correlação.

Este artigo foi escrito por Gisela Savioli

Categorias

Deixe seu comentário